quarta-feira, 19 de julho de 2017

 

A ARTE QUE NOS IMPULSIONA À 15ª EDIÇÃO

Os tempos não estão nada fáceis. O Brasil vem trilhando um caminho que deixa a todos nós apavorados. A corrupção toma conta de tudo e questões éticas têm sido pauta constante da reflexão de muitos. Estamos quase a pedir socorro, mas a luta continua. E luta é uma palavra que define bem a trajetória do Festival Estudantil de Teatro e Dança, já que poucas vezes estivemos confortáveis quanto a apoios e incentivos financeiros. O ano de 2017 representa, talvez, um dos momentos mais críticos da nossa persistência. No entanto, continuamos e continuaremos sempre, muito por conta de cada estudante e professor/diretor que nos acompanha.

Antes de mais nada, é a eles que direcionamos nosso agradecimento, e também ao público que sempre vai conferir nossa programação. Desde 2003, ou seja, há quinze anos ininterruptamente o Festival Estudantil de Teatro e Dança vem sendo realizado e em apenas seis vezes pudemos contar com incentivo de algum edital público, três vezes aprovados no Funcultura (Fundo de Cultura do Estado de Pernambuco) e três vezes no saudoso Sistema de Incentivo à Cultura da Prefeitura do Recife. Ou seja, a batalha sempre foi enorme! Mas o melhor é podermos ver a felicidade de tantos jovens, adultos e crianças lançando-se com fervor e amor ao teatro e a dança. E muitos talentos já passaram por nós, gente que hoje brilha profissionalmente no mercado cênico pernambucano e até fora do estado.

Para celebrarmos nossa 15ª edição neste ano de 2017, prestamos homenagem a dois guerreiros do teatro e da dança, a arte-educadora, diretora teatral e atriz Lúcia Machado, que protagonizou tantos espetáculos inesquecíveis, e Alexandre Macedo, também professor, coreógrafo e bailarino, responsável por outras tantas criações coreográficas memoráveis. A eles, nosso obrigado por tamanha dedicação a este universo das artes cênicas, que, apesar de todos os entraves para sua continuação, não para nunca. Como nós também.  E que este ano seja símbolo da nossa maior resistência. Avante! A arte nos impulsiona a isso.

Pedro Portugal
Produção

15º FESTIVAL ESTUDANTIL DE TEATRO E DANÇA 
Sempre no Teatro Apolo (Rua do Apolo, 121, 
Bairro do Recife.Tel. 3355 3320). 
Ingressos: R$ 10 (preço único promocional)
PROGRAMAÇÃO
Dia 23 de agosto de 2017 (quarta-feira), às 19h
Haverá Um Maldito Aqui Dentro (Escola Municipal de Arte João Pernambuco – Recife). Texto: Fred Nascimento, a partir do universo de Charles Bukowski. Direção: Fred Nascimento.
Dia 24 de agosto de 2017 (quinta-feira), às 19h
De Quem é a Culpa Se Nunca Chegamos? (Grupo Arte em Movimento e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco – Recife). Texto: criação coletiva do Grupo Arte em Movimento. Direção: Eduardo Bringel.
Dia 25 de agosto de 2017 (sexta-feira), às 19h
Homens e Caranguejos (Grupo Arte em Movimento e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco – Recife). Texto: criação coletiva, sob coordenação de Higor Tenório. Direção: Higor Tenório.

Dia 26 de agosto de 2017 (sábado), às 16h
Edifício Máximus (Academia Santa Gertrudes – Olinda). Texto e direção: Gabi Cabral.

Dia 26 de agosto de 2017 (sábado), às 20h
Isadora, Um Espetáculo de Plagiocombinação (Curso de Licenciatura em Teatro da Universidade Federal de Pernambuco – Recife). Criação coletiva. Direção: Marianne Consentino, com assistência de Rafael Dayon e Rosa Amorim.
Foto:Thiago Zimmerle
Dia 27 de agosto de 2017 (domingo), às 16h
Willy na Terra dos Meninos Invisíveis (Grupo Pedra Polida e CEAEC – Centro de Artes, Educação e Cultura – Olinda). Texto e direção: Anderson Abreu.
Foto: Louis Morais

Dia 27 de agosto de 2017 (domingo), às 20h
O Mar do Sertão (Colégio Marista São Luís – Recife). Texto e direção: Emmanuel Matheus.

Dia 30 de agosto de 2017 (quarta-feira), às 19h
Ritos de Vingança, Amor e Sangue (Cênicas Cia. de Repertório – Recife). Texto: livre adaptação da obra de William Shakespeare. Direção: Antônio Rodrigues.
Foto: Toni Rodrigues




























Dia 31 de agosto de 2017 (quinta-feira), às 19h
Ascensão e Queda da Cidade (Curso Avançado de Teatro do SESC Santo Amaro). Texto baseado na obra “Ascensão e Queda da Cidade de Mahagonny”, de Bertolt Brecht. Direção: Pedro Rodrigues, com assistência de Alcione Aquino.























Dia 01 de setembro de 2017 (sexta-feira), às 19h
VudéjàVu (Academia Santa Gertrudes – Olinda). Texto: Gabi Cabral e Valentina Lima. Direção: Gabi Cabral.
















Dia 02 de setembro de 2017 (sábado), às 16h
Espetáculo de formas animadas, indicado para maiores de 14 anos
Retratos de Amor (Curso de Licenciatura em Teatro da Universidade Federal de Pernambuco – Recife). Criação coletiva. Direção: Izabel Concessa.













Dia 02 de setembro de 2017 (sábado), às 20h
Os Sobreviventes (Coletivo Em Duo e Curso de História da Universidade Federal de Pernambuco – Recife). Texto: Camila Mendes, livremente inspirada em conto de Caio Fernando Abreu. Direção: Camila Mendes e Fábio Alves.


PROGRAMAÇÃO DAS COREOGRAFIAS
Dia 03 de setembro de 2017 (domingo)
APRESENTAÇÕES DAS 17 HORAS

Aurora (Battu Grupo de Dança e Colégio Virgem Imaculada – Paulista). Coreografia e direção: Thuan César Nascimento.

Eita! Nordeste da Peste! (Pré-Grupo de Dança e Colégio Virgem Imaculada – Paulista). Coreografia e direção: Thuan César Nascimento.

Amigas (Stúdio de Danças – Recife). Coreografia e direção: Viviane Luz.
Foto: Viviany Luz

Aquela Coisa Toda (Grupo NAP de Dança e Colégio NAP – Recife). Coreografia e direção: Viviane Lira.
Foto: Felipe Soares

Bandolins (Grupo NAP de Dança e Colégio NAP – Recife). Coreografia e direção: Viviane Lira.

Foto: Felipe Soares

Bonecas Francesas (Stúdio de Danças – Recife). Coreografia e direção: Brenda Schettini e Lúcia Roberta Dumaresq Valle. Direção: Brenda Schettini.
Foto: K&C Fotografias

Elo (Grupo Equipe de Dança e Colégio Equipe – Recife). Coreografia e direção: Taynanda Carvalho e Viviane Lira.

Sangrando (Grupo NAP de Dança e Colégio NAP – Recife). Coreografia e direção: Viviane Lira.
 Foto: Felipe Soares

Paysant (Stúdio de Danças – Recife). Coreografia: Jules Perrot Jean Coralli. Adaptação e direção: Brenda Schettini.
Foto: Carlos Alcantara 

Princesa Florine (Stúdio de Danças – Recife). Coreografia: Marius Petipa. Adaptação e direção: Brenda Schettini.
APRESENTAÇÕES DAS 19 HORAS

Louvação Bandeira de São João e Acorda Povo (Grupo Artístico e Cultural Boi Ta Ta Tá – Recife) Coreografia e direção: Grupo Artístico e Cultural Boi Ta Ta Tá.

Brinquedos Populares (Academia Santa Gertrudes – Olinda). Coreografia e direção: Gigi Albuquerque.

Cartomantes (Escola Gesttus – Recife). Coreografia e direção: Mayara Mesquita

Dandara (Escola Gesttus – Recife). Coreografia e direção: Larissa Porto

 (Escola Gesttus – Recife). Coreografia e direção: Mayara Mesquita

No Passo do Frevo (Centro Comunitário Vivendo e Aprendendo – Camaragibe). Coreografia: criação coletiva. Direção: Anderson Henry.

Nós Duas (Escola Gesttus – Recife). Coreografia e direção: Mayara Mesquita

O Grito da Liberdade (Grupo Cultural Faceta Cia. de Dança – Recife). Coreografia e direção: Conceição Silva.

Quando o Tempo Para (Escola Gesttus – Recife). Coreografia e direção: Mayara Mesquita

Tempos Modernos (Escola Gesttus – Recife). Coreografia e direção: Vannina Porto

Sobre Sonhos e Balões (Escola Gesttus – Recife). Coreografia e direção: Larissa Porto

Dançar da Alegria (Centro Comunitário Vivendo e Aprendendo – Camaragibe). Coreografia e direção: Anderson Henry.