terça-feira, 21 de julho de 2015





13º FESTIVAL ESTUDANTIL DE TEATRO E DANÇA


PROGRAMAÇÃO 2015 TEATRO
Mesmo enfrentando novamente a não existência de nenhum edital para bancar custos este ano, o Festival Estudantil de Teatro e Dança promove sua 13ª edição de 19 a 30 de agosto de 2015, sempre no Teatro Apolo (Rua do Apolo, 121, Bairro do Recife. Tel: 81 3355 3321 e 3355 3319), tudo sob o comando do produtor Pedro Portugal. De caráter não competitivo, a programação completa reúne produções estudantis de algumas cidades pernambucanas, com ingresso a R$ 10,00 – preço único promocional – para cada espetáculo ou a mostra de coreografias. No entanto, das vendas antecipadas com cada equipe participante do Festival, R$ 6,00 – seis reais – fica para o próprio grupo como um incentivo à atividade de produção. O objetivo do evento é revelar talentos. O 13º Festival Estudantil de Teatro e Dança conta com apoio da Prefeitura da Cidade do Recife e do Centro de Formação das Artes Cênicas Apolo-Hermilo.

Os homenageados deste ano são o ator Jeison Wallace (intérprete da impagável personagem Cinderela, que começou sua carreira vitoriosa participando do extinto TEBO – Festival de Teatro de Bolso, que reunia produções do teatro amador e estudantil) e a dançarina do ventre e coreógrafa Hannah Costa, há 18 anos no destaque das danças árabes em Pernambuco.


Mais informações: www.festivalestudantil.blogspot.com.br face book festivalestudantil























Foto: Fátima Freitas
Dia 19 de agosto de 2015 (quarta-feira), 19h
Homenagem ao Malandro (Curso de Interpretação Para Teatro do SESC Piedade – Jaboatão dos Guararapes/PE)
Texto: livre adaptação da obra “Ópera do Malandro”, de Chico Buarque de Holanda. Direção: Winy Mattos e codireção coletiva do grupo.

Em meados dos anos 1940, um cafetão enfrenta problemas com sua filha, apaixonada por um malandro que, junto a um grupo de capangas, vive de golpes e conchavos com a polícia. Com canções icônicas e tom burlesco, a montagem brinca com arquétipos sociais atemporais.

Foto:Fernando Figueroa
Dia 20 de agosto de 2015 (quinta-feira), 19h
Estação Vida (Curso Básico de Teatro – Escola Municipal de Arte João Pernambuco – Recife/PE)
Texto: Fred Nascimento, a partir do universo de Eduardo Galeano. Direção: Fred Nascimento.

Uma mulher fala de pessoas que conheceu no passado, mas todas já podem estar mortas. À medida que a narrativa acontece, as referidas personagens vão tomando vida numa sequência de cenas que remetem aos ambientes que viveram e em meio a acontecimentos importantes de suas histórias.

Foto: Samuel Santos
Dia 21 de agosto de 2015 (sexta-feira), 19h
A Mesa (Curso de Interpretação Para Teatro do SESC Piedade – Jaboatão dos Guararapes/PE)
Texto: recorte de textos teatrais clássicos. Adaptação e direção: Samuel Santos.

Tudo se passa durante uma refeição numa mesa, onde personagens de peças como “A Gaivota”, “Entre Quatro Paredes”, “Um Bonde Chamado Desejo” e “Eles Não Usam Black-Tie”, entre outras obras, vão se revelando. Bem próximo, o público é convidado a acompanhar as sensações propostas e o desenrolar de cada trama.

Foto: Cesar Leão
Dia 22 de agosto de 2015 (sábado), 16h
A Mulher Que Subiu ao Céu Pelos Olhos do Sertão e Pela Boca do Milagre (Cia. Experimental de Teatro – Vitória de Santo Antão/PE)
Texto: Raphael Gustavo, a partir da inspiração livre do cordel “A Mulher Que Subiu ao Céu”, de Célia Cris Silva. Direção: Raphael Gustavo.

No enredo, Tereza recebe um milagre de Nossa Senhora ao ficar grávida. Dois anos depois, o seu filho fica muito doente e ela decide sair de casa à procura de um posto de saúde distante centenas de léguas. Nesta jornada, muitas surpresas do mundo fantástico deste grandioso Sertão.

Dia 23 de agosto de 2015 (domingo), 16h
O Cavalinho Azul (Grupo Muvuca de Teatro e Grupo Magiluth/Oficina de Iniciação Teatral Arte do Presente – Limoeiro e Recife/PE)
Texto: Maria Clara Machado. Direção: Lucas Torres.

João de Deus é o narrador desta fábula que conta a história de Vicente, um garoto pobre e sonhador, encantado por um pangaré que acredita ser um belo cavalo azul capaz de cantar, dançar e voar. Quando seus pais vendem o animal, o menino decide sair pelo mundo à sua procura numa viagem cheia de emoções.

Foto: Luciana Lemos
Dia 23 de agosto de 2015 (domingo), 20h
The Célio Cruz Show (Máquina de Sonhos Cia. de Teatro e Ateliê do Ator – Recife/PE)
Texto: Newton Moreno. Direção: Wellington Júnior.

A história cômica se passa em um programa de auditório cujo tema do debate é a homossexualidade. Durante a gravação, surgem as mais diferentes formas de sexualidade e, no fim, há uma grande surpresa. Além de refletir sobre os direitos humanos, a montagem investiga o processo de jogo no trabalho do ator.

(não há programação na segunda-feira, dia 24 de agosto de 2015)

Dia 25 de agosto de 2015 (terça-feira), 19h
DEBACOABETE (Grupo de Teatro Dose Humana e Colégio Marista São Luís – Recife/PE)
Texto: César Amorim. Direção: Fátima Aguiar.

No gênero da farsa, esta obra transforma a plateia numa imensa sala de aula onde a proposta é apresentar a história do teatro pelo próprio teatro, desde os gregos até o nossos dias, utilizando o gênero drama como metalinguagem de forma muito bem humorada.

Dia 26 de agosto de 2015 (quarta-feira), 19h
Homens de Pedra e Osso (Grupo Arte Em Movimento e Núcleo de Arte e Cultura do Instituto Federal de Pernambuco – Campus Recife – Recife/PE)
Texto: Criação coletiva. Direção: Adilson Di Carvalho.

Se as estátuas de personalidades espalhadas pelo Recife, como Clarice Lispector, Manuel Bandeira e João Cabral de Melo Neto, ganhassem vida, o que nos diriam sobre os dias atuais? Este espetáculo propõe uma narrativa onírica pela ótica destas estátuas, revelando os encantos e mazelas sociais da “Veneza Brasileira”.

Dia 27 de agosto de 2015 (quinta-feira), 19h
Memórias Sobreviventes (Coletivo Loucura Roubada e Laboratório de Aprofundamento Cênico – Escola Municipal de Arte João Pernambuco – Recife/PE)
Texto: criação coletiva. Direção: Fred Nascimento.

O espetáculo mostra seis personagens que tiveram suas vidas marcadas pela ditadura militar, entre elas, uma ex-presa política, um ex-carteiro, uma negra militante e uma atriz feminista. São monólogos em sequência, com histórias que correm em paralelo tendo a repressão e suas consequências como fio condutor.

Foto:Vinicius Vieira
Dia 28 de agosto de 2015 (sexta-feira), 19h
Gota d’Água – Fragmentos e Outras Canções (VI Turma de Iniciação Teatral Cênicas Cia. de Repertório – Recife/PE)
Texto: livre adaptação da obra de Chico Buarque. Adaptação e direção: Antônio Rodrigues.

Adaptação da tragédia grega “Medéia”, a protagonista aqui se transforma na sofrida e vingativa Joana, abandonada por um Jasão prestes a se casar com a filha do dono dos imóveis do conjunto habitacional onde a história se passa. Com trilha sonora ao vivo, a peça une ao mito o samba e os ritos das religiões africanas.

Dia 29 de agosto de 2015 (sábado), 16h
A Menina Que Buscava o Sol (Núcleo de Pesquisa Cênica de Pernambuco e Conselho Escolar Professora Amélia Coelho – Vitória de Santo Antão)
Texto: Maria Helena Kühner. Direção: Thamiris Mendes e Wedson Garcia.

A história de Putz, uma menina que não quer ter sua cor imposta e para escolher as cores que quiser, atravessa os reinos da terra, do ar, do fogo e das águas em busca do Sol, que possui todas as cores juntas. No caminho, vai se deparar com estranhos habitantes e suas escolhas de vida.

Dia 29 de agosto de 2015 (sábado), 20h
Um Carnaval do Princípio ao Fim (Oficina de Atores – Recife/PE)
Texto: releitura da obra de Millôr Fernandes. Direção: Rodrigo Cunha.

A peça, uma releitura da obra “O Homem do Princípio ao Fim”, aponta vários aspectos do ser humano e sua trajetória ao longo dos tempos, numa colagem de textos de diversos outros autores, como Bertolt Brecht e Molière, entre outros, com viés carnavalizado, pois tudo se passa no período momesco.

PROGRAMAÇÃO 2015 DANÇA

Reunindo coreografias de diversos estilos, que vão do afro ao moderno e contemporâneo, do ballet clássico ao tango e o frevo rasgado.

 Dia 30 de agosto de 2015 (domingo), 17h

Banzomotriz (Cia. de Dança e Teatro Luardat – Recife/PE)
Coreografia: Claudineide Rodrigues. Direção: Erick Pinto (8 min.)

Beatles (Elo Grupo de Dança – Recife/PE)
Coreografia e direção: Mayara Mesquita (4’31”)

Carmen (Aria Social – Jaboatão dos Guararapes/PE)
Coreografia e direção: Ana Emília Freire. Direção geral: Cecília Brennand (3’45”)



                                         Foto:Flora
Amor Solitário (Pantomima Grupo de Dança – Recife/PE)
Coreografia e direção: Taynanda Carvalho e Viviane Lira (3 min.)

Dançando Tom (Grupo NAP de Dança – Recife/PE)
Coreografia e direção: Viviane Lira (7 minutos)

O Que Restou (Elo Grupo de Dança – Recife/PE)
Coreografia e direção: Mayara Mesquita (4’10”)

Amor Submisso (Pantomima Grupo de Dança – Recife/PE)
Coreografia e direção: Taynanda Carvalho e Viviane Lira (5 min.



Foto: Fernando Azevedo
Ubanco? (Aria Social – Jaboatão dos Guararapes/PE)
Coreografia e direção: Ana Emília Freire. Direção geral: Cecília Brennand (6’30”)

Epifania (Grupo Arte em Movimento. Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) – Campos Recife – Recife/PE)
Coreografia e direção: Roberto Silveira (10 min.)

(intervalo)

Vermelho – Várias Formas de Amar (Pantomima Grupo de Dança – Recife/PE)
Coreografia e direção: Taynanda Carvalho e Viviane Lira (9 min.)

Em Nossas Mãos (Elo Grupo de Dança – Recife/PE)
Coreografia e direção: Mayara Mesquita (3’36”)

Foto: Fernando Azevedo
Último Tango (Aria Social – Jaboatão dos Guararapes/PE)
Coreografia e direção: Ana Emília Freire. Direção geral: Cecília Brennand (7’48”)

Foto: Flora Negri
Amores Em Encontros (Pantomima Grupo de Dança – Recife/PE)
Coreografia e direção: Taynanda Carvalho e Viviane Lira (4 min.)

Encontro e Desencontro (Equipe de Dança e Colégio Equipe – Recife/PE)
Coreografia e direção: Taynanda Carvalho e Viviane Lira (5 min.)

Dúvido (Aria Social – Jaboatão dos Guararapes/PE)
Coreografia e direção: Ana Emília Freire. Direção geral: Cecília Brennand (10 min.)

Entre Passos e Sombrinhas (Studio Viégas de Dança – Recife/PE)


Coreografia: Bhrunno Henrique. Direção: Jorge Viégas (10 min.)

sexta-feira, 19 de junho de 2015

REGULAMENTO PARA INSCRIÇÃO E PARTICIPAÇÃO NO
13º FESTIVAL ESTUDANTIL DE TEATRO E DANÇA

O produtor PEDRO PORTUGAL torna público, através deste regulamento, que fará realizar, no período de 19 a 30 de agosto 2015, na cidade do Recife, estado de Pernambuco, o 13º FESTIVAL ESTUDANTIL DE TEATRO E DANÇA (FETED), cujas récitas acontecerão no TEATRO APOLO. Seguindo o que foi acertado como desejo maior desde a avaliação da edição 2013, o FETD continuará não sendo competitivo, portanto, não terá prêmios para ser entregues ao final.


I.                DOS PARTICIPANTES

 
Artigo 1º - Poderão participar do Festival grupos ligados a escolas ou universidades (públicas e privadas) e cursos livres de artes cênicas (teatro e dança) promovidos por academias, instituições culturais ou Organizações Não Governamentais, de Pernambuco ou de outros estados brasileiros.

Artigo 2º - No elenco dos espetáculos inscritos no Festival só será permitida a participação de até, no máximo, dois atores ou duas atrizes, dois bailarinos ou duas bailarinas que não tenham vínculos com a escola ou o curso de artes cênicas, podendo até ser profissionais. A equipe que apresentar mais de dois artistas profissionais em seu elenco será desclassificada da competição. Este evento é um festival estudantil, então, é prioritário que os integrantes estejam realmente ligados a uma instituição de ensino.


II.                DA SELEÇÃO

 
Artigo 3º - As inscrições serão abertas no período de 25 de junho a 03 de julho de 2015, no Centro de Formação e Pesquisa das Artes Cênicas Apolo-Hermilo, com envelope lacrado e todo  material digitalizado inclusive a ficha técnica, no horário das 10 às 12 horas e das 14 às 17 horas.

Parágrafo primeiro - Serão selecionados até 17 (dezessete) espetáculos de teatro e até 30 (trinta) coreografias, estas nos mais diversos estilos sendo distribuídas em até duas noites de apresentação.

Parágrafo segundo - Para os espetáculos de teatro será obedecido o tempo máximo de apresentação de até 1 (uma) hora, com o mínimo de 40 minutos, e para cada coreografia, o tempo máximo de até 10 (dez) minutos, com o mínimo de 03 (três) minutos de apresentação (excetuando solos, duos ou trios de ballets clássicos livres ou de repertório, que poderão ter tempo menor ainda). Aqueles que não respeitarem esse tempo delimitado estarão desclassificados do FETED.

Parágrafo terceiro - Os espetáculos e coreografias selecionadas serão conhecidos através da divulgação nos e-mails cadastrados na inscrição (obrigatoriamente de TODA A EQUIPE participante, caso seus integrantes possuam e-mail), pelo blog www.festivalestudantil.blogspot.com.br, e através da imprensa local.

Parágrafo quarto – As coreografias serão apresentadas em duas categorias, a primeira em solos, duos e trios; e a segunda, grupos (a partir de quatro integrantes).

Artigo 4º - A comissão de análise dos projetos é soberana e levará em consideração a qualidade dos mesmos.

Artigo 5º - Todos os grupos selecionados terão de comparecer ao Centro de Formação e Pesquisa das Artes Cênicas Apolo-Hermilo, com pelo menos um representante, em data ainda a confirmar, para a reunião de teatro e dança anterior ao início da programação, objetivando o sorteio dos dias e horas das apresentações dos espetáculos e coreografias aprovadas no Festival (estas últimas só serão divulgadas após análise do tempo de cada uma e quantidade de pessoas envolvidas, mas nesta reunião o grupo pode solicitar uma data prioritária, caso seja necessário).

Parágrafo único - Os grupos que não tiverem nenhum representante nesta reunião poderão ser excluídos do evento. Para aqueles que apresentarem justificativa, terão que aceitar, automaticamente, o dia e horário a eles designados pela coordenação do Festival. A prioridade para as apresentações dos finais de semana será para os grupos de municípios do interior pernambucano ou de cidades de outros estados.

Artigo 6º - No ato da inscrição será cobrada uma taxa de R$ 50,00 (cinquenta reais) para as escolas privadas e de R$ 10,00 (dez reais) para escolas públicas (por inscrição), objetivando cobrir algumas despesas administrativas do evento. Os grupos ligados a cursos livres de artes cênicas e ONGs pagarão a mesma taxa das escolas particulares. Os projetos não aprovados terão seu dinheiro devolvido.

Artigo - As inscrições, em envelope lacrado, serão feitas mediante apresentação dos seguintes documentos em CD ou DVD: 

A – Declaração da escola ou curso responsabilizando-se pelo espetáculo, de acordo com o regulamento;

B – Nome completo e número da carteira de identidade do responsável (sem necessariamente termos cópia da mesma);

C – Projeto contendo:

Teatro:

Sinopse do Espetáculo (a trama principal e resumida da peça), Proposta de Encenação do Espetáculo (elementos cênicos usados na mesma, técnica aplicada aos intérpretes, estética utilizada, etc.), Breve Currículo de toda a equipe (indicando, inclusive, aqueles que atuam pela primeira vez), Desenhos ou Fotografias do Figurino e Cenário, Ficha Técnica Completa (com nome e sobrenome artístico de cada um) e Ficha do Elenco (com descrição do(s) personagem(ns) de cada um e indicação do ator e atriz principal, caso ache necessário). É fundamental registrar e-mails de todos e telefones de contatos de dois ou três participantes (celulares e convencionais);

Dança:

Sinopse da Obra (destacando a ideia que norteou a criação da coreografia), Duração, Indicação de Estilo e Categoria (solo, duo, trio / grupo), Detalhes da Trilha Sonora (principalmente se é ao vivo e quais instrumentos utilizados e se necessitam de amplificação), Dados Históricos (caso haja necessidade, por exemplo, em um trabalho clássico recriado), Desenhos ou Fotografias do Figurino, Ficha Técnica Completa (com nome e sobrenome artístico de cada um), Ficha do Elenco (e indicação do bailarino ou bailarina principal, caso ache necessário), Breve Currículo de toda a equipe (indicando função e, inclusive, aqueles que dançam pela primeira vez) e DVD com ensaio ou apresentação pública da coreografia (mesmo que sem figurino definitivo, luz ou outros elementos cênicos. O que será avaliado é a movimentação proposta. O vídeo deve ser postado na Internet ou entregue pessoalmente, em formato DVD, na administração do Centro de Formação e Pesquisa das Artes Cênicas Apolo-Hermilo). Os grupos que não apresentarem o que foi proposto nas imagens, mesmo que com algumas alterações, será automaticamente desclassificado. É fundamental registrar e-mails de todos e telefones de contatos de dois ou três participantes (celulares e convencionais).

D –  Autorização dos pais, em caso de menores participantes do espetáculo;

E –  Liberação do autor ou do órgão responsável pelos direitos autorais, para utilização do texto e músicas;

F – Aqueles que tiverem fotos de qualidade DO TRABALHO A SER APRESENTADO, devem incluí-las no projeto, como anexo, na resolução 300dpi, formato JPEG, com indicação do nome do fotógrafo. Tais imagens não são obrigatórias, mas ajudam na divulgação do evento.

V – DOS DIREITOS E DEVERES


Artigo 8º - Cada grupo de teatro terá, obrigatoriamente, que ter um representante, no mínimo, participando de pelo menos uma das oficinas oferecidas pela produção do Festival gratuitamente (os grupos de outras cidades serão analisados separadamente, neste caso). O mesmo se refere às equipes de dança. Também é necessária a presença de pelo menos um representante da equipe na avaliação final do Festival.

Parágrafo único - Os grupos que não cumprirem este artigo podem ser penalizados com a não participação numa próxima edição deste evento, sendo bastante grave a inscrição em uma oficina, sua seleção e a não presença em todas as aulas, com exceção de alguma justificativa plausível.

Artigo 9º - Cada grupo de teatro terá direito a um ensaio, de no máximo três horas, para reconhecimento do espaço cênico. Esse ensaio poderá não ser necessariamente no dia de sua apresentação. Ainda terá o grupo à sua disposição, serviços de som e luz, maquinaria, além de técnicos para realizar as atividades necessárias. Será de responsabilidade da produção do Festival fornecer água mineral para toda a equipe, durante os ensaios e apresentações. Os grupos de dança terão sua marcação de palco divulgada mediante a quantidade de equipes aprovadas no Festival, sendo importantíssimo este reconhecimento de espaço para todos os participantes. Como são muitos grupos em sequência, é fundamental a pontualidade em seu horário. A equipe que não chegar na hora determinada, perde o direito de sua marcação de palco.

Artigo 10º - É dever de cada grupo selecionado retirar todo o material cênico do teatro, em no máximo 12h após a sua apresentação. Findo este prazo, a produção do Festival não se responsabilizará por eventuais danos causados ao material citado.

Artigo 11º - A entrada dos artistas e técnicos das escolas e cursos participantes ou ligados ao Festival, de acordo com a ficha técnica apresentada no ato da inscrição, só será franqueada no dia da apresentação do grupo a que eles pertencem.

Artigo 12º - Será cobrado o valor de R$ 10,00 (dez reais – valor único promocional) por ingresso na bilheteria do teatro, para cada apresentação.

Parágrafo único - Como uma forma de incentivar o exercício da produção, do valor líquido a ser arrecadado nos ingressos com venda antecipada, R$ 6,00 (seis reais) será destinado ao grupo participante e o restante, apenas R$ 4,00 (quatro reais), será voltado para a produção do evento, com prestação de contas obrigatoriamente até um dia antes de sua apresentação.

Artigo 13º - Os grupos selecionados terão um prazo de oito dias após a divulgação da grade do Festival para desistir da sua participação. O descumprimento deste artigo fará com que o grupo/escola seja punido com uma multa de cinco salários mínimos, cujo valor será destinado a uma instituição de caridade.

Artigo 14º - É de responsabilidade do grupo/escola participante qualquer despesa com SBAT, ABRAMUS, ECAD ou outros agentes do direito autoral. 

Artigo 15º - Fica proibida a utilização de material/produto inflamável,  líquido, sólido ou de qualquer outra natureza que, de alguma forma, venha causar danos ao teatro. E caso o grupo vá utilizar material que, por acaso, venha a ser distribuído pelo palco com algum tipo de resíduo (papel picado, por exemplo), deve informar no ato de sua inscrição.

Artigo 26º - Os casos omissos serão decididos pela produção do Festival, que elege o foro do Recife para dirimir quaisquer dúvidas que venham a existir.


Fone: (81) 9146 2402 / 9223 3850
E-mail: festivalestudantil@gmail.com
www.festivalestudantil.blogspot.com.br