quarta-feira, 24 de agosto de 2011

9º Festival Estudantil de Teatro e Dança faz últimas sessões de quinta a sábado desta semana











Nesta quinta-feira, no encerramento da programação teatral adulta do 9º Festival Estudantil de Teatro e Dança, às 19h30, no Teatro Apolo (Rua do Apolo, 121, Bairro do Recife. Tel. 3355 3318), é a vez do espetáculo “Bolívar, Um Sonho de Liberdade”, com alunos do Colégio São José, de Abreu e Lima. De caráter histórico, mas abordando questões pessoais como o seu romance proibido com Manuela Saenz, a peça revela a trajetória do líder revolucionário Simon Bolívar, que promoveu a independência das hoje repúblicas da Venezuela, Colômbia, Bolívia, Peru, Equador e Panamá. O texto e a direção são de Pierre Filho e a montagem conta com apoio do Consulado Geral da República Bolivariana da Venezuela no Recife.

 

Ave Poesia, com o Grupo
Matulão de Dança
Foto: Reginaldo Azevedo.


Ainda nesta quinta, às 19h, no Teatro Boa Vista (Rua Dom Bosco, 551, Boa Vista. Tel. 2129 5961), termina a programação de nível avançado em Dança, com 17 trabalhos selecionados apostando na diversidade de estilos. Entre eles, a coreografia "Ave Poesia", do Grupo Matulão de Dança, que nos remete ao período junino em diálogo com os passos do ballet clássico. Dançam ainda, entre outros, o Aria Social, Espaço e Grupo Endança, A Sós Cia. de Dança e e Grupo de Dança Sparcaty. Os ingressos custam R$ 5 (preço único em cada teatro). O evento segue com atrações até este sábado. Informações: 3222 0025.



















Retrato de Família

Na sexta-feira, excepcionalmente no horário das 19h30, será apresentada “Retrato de Família”, espetáculo voltado para o público infanto-juvenil, com oGrupo Teatral Se Der Certo Continua e Escola Municipal Casa dos Ferroviários, do Recife. Texto e direção: Anderson Abreu. A peça aborda a difícil trajetória de uma criança que, abandonada pelos pais, vive em um orfanato, mas não esquece do seu poder de imaginação e da crença de ainda ser adotada por uma família que lhe ame e aceite da maneira que ela é. Com trilha sonora ao vivo, a peça busca, de forma lúdica e poética, mas com críticas também, mostrar a realidade de famílias, sem esquecer uma interação constante entre atores e plateia.


Menino Minotauro,
com estudantes de Manarí.
Crédito: George Digital Manarí















No sábado, às 16h30, o poético e divertido “Menino Minotauro”, indicado para maiores de oito anos, encerra a programação cênica do 9º Festival Estudantil de Teatro e Dança, no Teatro Apolo, com 25 crianças e jovens atendidos peloPonto de Cultura O Resgate Multi Cultural Manarí Via Progresso, do município de Manarí, considerado o mais pobre do Brasil, com o menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Mesmo assim, o teatro tem seu espaço na cidade. Texto: Luiz Felipe Botelho. Direção: Allan Shymytty. No enredo, o encontro do menino Guga com o seu Minotauro, que lhe expõe seus desejos nas primeiras descobertas do sexo, do amor e da velhice que virá.

A entrega dos prêmios acontecerá no domingo, 04 de setembro, a partir das 18h, no Teatro de Santa Isabel, com ingressos também a R$ 5 (preço único promocional), quando será realizada homenagem especial aos professores Carlos Varella, de teatro, e Flávia Barros, de ballet, com longa carreira formando artistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário